Saiba mais sobre o Método Gambit!

Categorias: Comportamento

Os benefícios existentes em ajudar o outro

Ajudar o próximo pode trazer grandes benefícios para as nossas vidas. Alguns o fazem por prazer, em busca desses benefícios, outros o fazem para suprir algumas necessidades próprias, mas isso não significa que não consigam também esses benefícios. Independente do motivo, a ajuda, quando verdadeira, é muito bem vinda.

Vou falar aqui dos benefícios internos existentes em ajudar o outro, ou seja, não vou falar de recompensas materiais ou de recursos que podem ser alcançados quando ajudamos a pessoa certa. Estou falando aqui de ajudar verdadeiramente o outro e, portanto, das recompensas psicológicas que podemos adquirir.

Sentir-se útil.

Ajudar o outro, ou, pelo menos, saber que o outro precisa de nós para aprender a realizar algo, faz com que nos sintamos extremamente úteis. É como se naquele momento a nossa existência fizesse alguma diferença no mundo, ou pelo menos, no mundo da pessoa que está necessitando de nossa ajuda. Esse sentimento de utilidade é importante pois em nossa cultura aprendemos que precisamos ser úteis para nos sentirmos bem. Podemos perceber isso em frases como “Ele não faz nada, é um inútil mesmo”.

É claro que não precisamos realmente fazer algo para sermos úteis, mas essa crença ainda está impregnada em muita gente, fazendo com que criemos a necessidade de sermos úteis e prestativos para com os outros. Esse sentimento de utilidade pode então ser sanada no momento em que ajudamos verdadeiramente o outro.

Troca de experiências.

Ajudar o outro não necessariamente significa que você irá passar para o outro as suas experiências para que ele possa progredir. Na verdade, tanto quem ajuda como quem é ajudado nos passa algum tipo de informação e experiência que não teríamos caso estivéssemos recusado ajudar o outro.

Todo contato humano, independente de como seja, faz com que aprendamos algo novo e diferente. Isso ocorre com todos que estejam abertos às novas experiências, deixando de ficar cristalizado com tudo o que já foi aprendido. Mesmo ajudando, podemos também aprender e, consequentemente, ser também ajudado de alguma maneira.

Sentimento de Gratidão.

Quando ajudamos o outro, um sentimento muito comum que temos é o de gratidão. Ocorre tanto a gratidão da pessoa que foi ajudada, como também o sentimento de gratidão próprio, por termos nos disponibilizados a ajudar o outro.

A gratidão do próximo, geralmente, já é o suficiente para nos sentirmos satisfeitos conosco e com nossas atitudes, nos fazendo acreditar que somos pessoas suficientemente boas para resolver as nossas questões e até mesmo auxiliar o outro nas questões dele. Isso faz com que sentimos que estamos no controle das situações, como se fossemos capazes de resolver tudo. E isso é muito bom.

Surgimento de sentimentos positivos.

Ajudar o outro é a maneira mais fácil de termos os mais diferenciados sentimentos positivos possíveis. A felicidade e o contentamento são comumente associadas à ajudar ao próximo, assim como a própria gratidão e o bem estar emocional.

Geralmente é por causa desses sentimentos que sentimos a necessidade de ajudar o próximo e estamos frequentemente disponíveis para auxiliar o outro com o que ele pedir. É por isso também que existe algumas ajudas que na verdade mais atrapalham. Ajudar verdadeiramente é saber a diferença entre auxiliar o outro no que ele precisa e não fazer as coisas por ele.

Disponibilidade.

Quando ajudamos o outro, isso faz com que ele sinta que nós estamos disponíveis para ele, pois doamos nosso tempo para ajudar em uma questão que ele não esteva conseguindo resolver. Nós também sentimos que nos dispusemos a ajudá-lo, principalmente, quando a ajuda (ou o pedido de ajuda) aconteceu de uma forma natural, sem ser forçado ou feito para conseguir vantagens posteriormente.

Ajudar o outro então, além de fazer com que nos sintamos mais humanos, nos traz muitos benefícios, o que faz com que desejemos ajudar cada vez mais as pessoas. Porem, é sempre necessário perceber até que ponto a sua ajuda foi benéfica para o outro e está auxiliando no crescimento do mesmo, e até no seu próprio crescimento, ou se você está apenas realizando a tarefa do outro para ele. Ajudar é deixar o outro apto a realizar as mesmas coisa que você, não somente aliar as responsabilidades do outro.

Leonardo Luchetta

É psicólogo e redator de conteúdos. Escreve, reflete e pesquisa sobre os mais variados temas. Não considera a escrita como trabalho, mas uma necessidade da alma.

Veja os Comentários

  • Estou em busca de fazer diarias em casa apartamento fazendas clínicas em algum lugar tem vagas para mim me avisem de umas vaga já existente

Novos Posts

  • Automobilismo
  • Viagem

Que tal ir para o Rock in Rio de Limousine?

Conheça o projeto “Show de Limo”, iniciativa da maior empresa de traslado de luxo do Brasil.

% dias atrás
  • Comportamento

O que você deve pensar antes de pedir um aumento

Confira 5 questões que você deve se fazer antes de tentar pedir um aumento para o seu chefe.

% dias atrás
  • Arquitetura & Decoração
  • Entretenimento

Decoração: Ideia de camas usando pallets

Confira algumas ideias de camas usando pallets como decoração.

% dias atrás
  • Comportamento

8 Mudanças que você deve fazer para transformar sua vida

Confira algumas mudanças que você deveria fazer na sua vida para transformá-la completamente.

% dias atrás
  • Mulheres

Bonjour, Kayslee Collins! [+18]

Confira esse belo ensaio com a modelo Kayslee Collins à vontade no seu quarto.

% dias atrás
  • Comportamento

É possível esquecer uma paixão “impossível”?

Será que é possível esquecer a paixão por uma mulher que nunca poderemos ter?

% dias atrás