Você não deveria mentir para os seus filhos

nao-para-o-filho

Alguns pais têm o costume de contar algumas mentiras para seus filhos, principalmente quando eles ainda são crianças. Essas “brincadeiras” geralmente ocorrem para fazer com que as crianças façam algo que os pais desejam ou para impedir que elas façam alguma coisa. Enfim, geralmente são mentiras “inofensivas”.

Porém, alguns pais exageram na dose e começam a mentir com muita frequência, para colocar medo, evitar algum assunto e assim por diante. Isso não é muito bom para o desenvolvimento da criança, afinal, essas mentiras podem ter algumas consequências.

Separamos uma lista com algumas dessas consequências para demonstrar os motivos que você têm para não mentir mais para os seus filhos.

Ele aprender a mentir.

As crianças aprendem muito a partir da modelagem. Ou seja, aprendem com um modelo. Os pais são os primeiros modelos da criança. Que tipo de modelo você está sendo para o seu filho?

Se você tiver o costume de mentir com frequência, esse com certeza será um habito que seu filho irá aprender logo. Afinal, é mais fácil mentir e esconder as coisas.

Portanto, não adianta falar para o seu filho que ele não deve mentir, quando você dá o exemplo contrário.

pai-filho-adolescente

A mentira pode se transformar em uma crença dele.

Algumas mentiras são ditas pelos pais para tentar “controlar” os filhos, como por exemplo, afirmar que se ele fizer algo o “bicho papão” vai pegar ele. Ou que tem um monstro em algum lugar (somente para ele não ir lá).

Essas mentiras são para evitar que as crianças façam algo e geralmente funcionam.

O problema é que no fundo, o pai está ensinando a criança que existem seres sobrenaturais que maltratam crianças e que ela deve ter medo deles.

Ela irá passar um bom tempo acreditando nesses seres e não aprenderá o limite entre o que pode ou não fazer, ou se o “bicho papão” vai pegar ela ou não e assim por diante.

Pode ser mais trabalhoso, mas o interessante é falar a verdade para a criança. Se você não quer que ela faça algo, diga os motivos, fale a verdade, explique a situação. Faça com que ela entenda o que está acontecendo.

Em alguns momentos, se ela ficar teimando, você pode deixar acontecer (quando for algo inofensivo), apenas para demonstrar que as atitudes dela têm consequências e que você consegue prever algumas dessas consequências (melhor do que ele porque, você já tem experiência). Assim, no lugar de colocar medo, você realmente ensina o seu filho.

Em algum momento ele irá descobrir que é mentira.

Na mentira existem dois momentos, o primeiro é o momento em que a mentira é contada e o segundo é quando a mentira é descoberta.

Com o passar do tempo, as crianças passam a ter mais autonomia e começam a compreender melhor as coisas, fazendo com que reflitam sobre alguns assuntos. Geralmente, é nesse momento que elas começam a perceber as mentiras que são contadas para ela.

Quando ela começar a perceber que os pais estavam mentindo, elas ficam em conflitos entre o que foi realmente verdade e o que foi mentira. Ou seja, elas não pensam sobre os motivos que levaram os pais a mentir, somente sobre a mentira em si.

pai-conversando-filho

Ele não irá confiar em você no futuro.

Quando a criança descobre sobre as mentiras, ela passa a ter mais dificuldade em confiar no que é dito pelos pais, fazendo com que também tenha mais dificuldade em confiar em outras pessoas, afinal, se os pais foram capazes de mentir, outras pessoas também serão.

Isso pode fazer com que ela fique mais desconfiada e tenha dificuldade para confiar no que é dito para ela.

Ele terá mais dificuldade de chegar às próprias conclusões.

Quando você mente, no lugar de explicar, você cria uma fantasia. A criança geralmente acredita nisso.

Se a criança faz uma pergunta, sobre um determinado assunto que você acha que não está na hora de conversar sobre, você conta uma historinha de mentira, apenas para tirar a curiosidade do momento.

Ou seja, você não está fazendo com que a criança pense, você apenas esta fugindo da situação.

Assim você faz com que ele apenas aceite o que lhe é dito (mesmo que seja mentira) e não ensina ele a pensar sobre as próprias curiosidades.

Por isso, no lugar de criar fantasias, tente fazer com que ele descubra a verdade e aprenda sobre as coisas, seja pesquisando ou refletindo sobre os assuntos. Isso irá ensiná-lo a compreender melhor o mundo que o cerca (que ainda é muito misterioso para ele), além de demonstrar que ele tem a capacidade de encontrar as respostas para alguns de seus questionamentos.

Com essas atitudes você se transformará em um bom modelo para o seu filho e perceberá que não existe necessidade para mentir. No lugar da mentira pode entrar o aprendizado.


Leonardo Luchetta527 Posts

É psicólogo e redator de conteúdos. Escreve, reflete e pesquisa sobre os mais variados temas. Não considera a escrita como trabalho, mas uma necessidade da alma.

0 Comentários

Deixe um comentário

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Don't have account. Register

Lost Password

Register