Review Literário: MLK Muito Louco

review-literario-mlk-muito-loko

Outro dia recebi este livro – MLK Muito Louco – em pré-lançamento e decidi fazer uma resenha sincera.

Minha meta de leitura atual é de 30 livros esse ano. Ela já foi maior, mas com o blog acabo lendo mais da web e canais sociais do que curtindo um bom livro como costumava fazer na adolescência. E por falar nessa fase tão boa da vida, é difícil não dar spoilers nesse review, mas tentarei.

mlk-muito-louco

PUBLICO ALVO

O público leitor para qual MLK Muito Louco aparenta ter sido direcionado são pessoas no final da adolescência e jovens adultos. Deve agradar mais homens héteros, mas tem uma pitada justa de diversidade sexual com um casal de namoradas. Parece que hoje em dia, uma obra literária que não tem ao menos um personagem gay, seja de qualquer gênero for (ou não), fica descolada demais da realidade, mesmo se a história for de fantasia.

Pareceu ser uma leitura bastante proveitosa para mulheres também. É acesso livre ao pensamento (bastante real) masculino. Talvez útil a mães e pais curiosos para adentrarem no mundo psíquico e empírico dos filhos na juventude. A leitura tende a minimizar o choque entre gerações que se origina da defasagem de conhecimento, tanto dos jovens de hoje em relação a turma dos anos 80, quanto dos mais antigos em relação aos jovens de agora. Eventualmente pode até ser uma boa leitura para professores da rede pública e particular que podem extrair insights aplicáveis, para psicólogos, antropólogos e cientistas sociais também por retratar de forma histórica traços comportamentais humanos, locais e situações em algumas cidades brasileiras e também estrangeiras.

PERSONAGENS

Alguns personagens têm pensamentos típicos de aventureiros, tem aqueles machistas e narcisistas. Mas existe o contra ponto em outras figuras que equalizam e funcionam como terapia de espelho. Tem um pai humilde e bem dedicado à família que retrata bem o perfil de boa parte dos brasileiros. Tem a garota de cidade do interior que é linda, sonhadora e vive uma solidão que não cabe no peito. Tem a mulher solteira, sexualmente bem resolvida e dona da própria vida, que diga-se de passagem, foi estragada pela criação do pai. Tem o garoto criado com rigidez que quando sai da aba dos pais acaba se embananando e zuando geral. Tem a galera do mal, os vilões da trama, envolvidos com violência, criminalidade e corrupção. Confesso que me identifiquei em vários personagens, que são muito bem construídos. Me flagrei concordando com a atitude de alguns, desacreditando do comportamento de outros. É uma leitura que traz pluralidade e, de certa forma, o livro é até bem populoso de personagens, mas ao menos pra mim, achei os traços e histórias tão marcantes que não me perdi a respeito de quem é quem.

No início parece que o protagonista é o Digo, um rapaz inteligente que chegou a ser morador de rua. Depois o protagonista aparenta ser Nakano, um oriental ingênuo que se apaixona e começa a namorar uma prostituta, mas os pais dão um jeito de interferir no romance. Depois parece que a personagem principal é a Paty, a garota de programa que ganha protagonismo em alguns momentos e tem, como todo ser humano, vários pontos positivos.

LINGUAGEM E FORMATO

A linguagem é bem jovem, fácil de entender. Li em um fim de semana e em vários momentos não conseguia parar a leitura porque estava querendo saber o que aconteceria. Fato que mergulhei na trama e me identifiquei com um pouco de cada personagem, com exceção dos criminosos (apesar de ficção, o livro tem alguns e coloca luz na corrupção também).

Por alguns aspectos é um pouco diferente de tudo o que já li no sentido de começar com histórias curtas, velozes e individuais e, aos poucos ir se transformando em tramas um pouco mais extensas, densas e interconectadas. A linguagem também evolui, caminha lado a lado com as cenas e absorve a frequência emocional correspondente a cada uma delas. No começo tem muita trip, situação de balada e aventuras. As falas acompanham um pouco dessa carga que é traduzida na escolha das palavras, expressões e gírias. Parece que a linguagem vai se adaptando á aquilo que está sendo transmitido.

EROTISMO

Algumas partes são bem excitantes, vale ressaltar. O sexo é abordado com naturalidade em vários momentos, alguns mais picantes, outros mais românticos, outros um tanto impactantes. A sedução na trama transporta a imaginação, especialmente para homens leitores. Não é romance melado, não é exatamente o tipo de erotismo que faz o coração das meninas suspirar. Com moderada riqueza de detalhes, tem um garoto que namora uma prostituta na trama e ela ensina várias técnicas pra deixar uma mulher doidinha de tesão. Recomendo a leitura 😉

Tem uma cena que não dá para contar para não estragar a experiência de ler, que pra mim foi um wake-up call, uma chamada para a galera que curte Tinder e outros apps do gênero dar aquela acordada e ficar esperta, porque é raro de acontecer, mas pode rolar fácil. É curioso que o autor parece ter pesquisado bastante algumas das informações contidas no livro, criando um tipo de ficção bastante realista.

COMEÇO: Carrega na cabeça do leitor tudo o que ele precisa entender para a história da segunda metade do livro fazer sentido e prender. O começo é curtição, situações engraçadas, pegação e inconsequência.

MEIO: Ação e consequência. Gradual e sutilmente a gente vai entendendo o que acontece em decorrência do que passou.

FINAL: Uma catarse decorrente de tudo o que aconteceu na vida dos personagens principais. Traz um desdobramento inesperado que pareceu bem crível. E ainda transmitiu uma visão de um processo criativo/ inventivo. Foi como testemunhar de perto o nascimento de uma invenção bem bacana.

IMPRESSÃO GERAL: Parece que os personagens estão um pouco entorpecidos. Cada um com sua “loucura”. Existe um torpor que paira sobre a obra como um todo. Faz o leitor reparar nos excessos. Tem uma alegria jovem e uma pegada visceral de viver. O autor mira na anomalia da vida dos personagens em vários momentos, ressaltando-as como um padrão de normalidade. E faz isso com uma habilidade magistral, o livro é muito bem escrito. Não é um mundo cor de rosa, traz a tona coisas do submundo underground. Ao ler você fica com a sensação nítida em diversas partes de que existem mundos e realidades paralelas. E cada um na sua, existem diferentes realidades, diferentes comportamentos, diferentes consequências para cada comportamento, diferentes formas de lidar com as situações. Nesse sentido me ajudou a expandir a mente.

Se passa nos anos 2000, período em que acontecem alguns eventos marcantes. Retrata várias cidades, traz considerável imersão na cultura brasileira e visão do brasileiro olhando de fora de seu quintal em diferentes partes do mundo.

Tem uma parte de mentoria a um personagem em situação social de desvantagem que é muito legal. Eu gostaria de ter recebido um treinamento daquele (e aquele mesmo pagamento por ir bem nos exames). Não tem como não aprender algo junto no processo. Esse personagem é o mais adaptável da história, que aliás é um dom genial dele, ele observa cuidadosamente o ponto de vista e filtra as melhores lições em sua jornada. Em algumas passagens, o aprendizado advém de um professor extremamente capitalista, bilionário e inescrupuloso, e vai se alternando com lições de outro professor que é uma espécie de coach erudito de vasto repertório cultural, ex-dependente químico com valores morais admiráveis, e visão de sociedade bem diferentes do olhar do mega empresário. É bem interessante de ver o que o personagem extrai de bom dos dois lados opostos.

NOTA: 4.5 (porque nota 5, pra mim, é só para Gabriel Garcia Marquez, Machado de Assis, Saramago, Kafka, Monteiro Lobato, Clarice Lispector, Jorge Amado e cia limitada).

O “romance”, se é que pode ser chamado assim, mexeu bastante comigo durante e após a leitura. Dias após terminar de ler, ainda me flagro relembrando passagens e colocando em perspectiva para tirar conclusões. Pretendo ler de novo em breve para reparar no que deixei passar. Tem bastante assunto na obra, temas diversos com graus de importância diferente para cada leitor. Listei alguns dos pontos que mais me chamaram atenção, mas para uma mulher solteira, por exemplo, sua âncora de percepção pode ser totalmente outra junto com uma personagem do livro. Para um cara bem rico, outra visão totalmente diferente. Pais e mães, idem.

O livro está à venda na Amazon por R$19,99 (clique aqui para conferir).

Não sei se confundi ou ajudei, mas está aí: o primeiro review literário do TPH \o/. Se tu curtiu e quer mais reviews, comente aqui e passarei a dividir mais minhas impressões sobre os livros que curto.


Tudo Para Homens858 Posts

Um portal sobre tudo que o homem gosta e mais um pouco: Automobilismo, Comportamento, Relacionamento, Entretenimento, Estilo, Gastronomia, Bebida, Mulheres, Tecnologia e muito mais.

0 Comentários

Deixe um comentário

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Don't have account. Register

Lost Password

Register