Qual a sua influência no outro?

Qual a sua influência no outro?

Você já parou para pensar que tipo de influência você tem para as outras pessoas de seu convívio? Será que suas ações são negativas ou positivas diante do outro? Como você resolve seus problemas? Pensar no outro é um costume seu ou você pensa apenas em si mesmo? Tudo isto contribui para a imagem que o outro possa ter de você e na influência que você exerce no comportamento do outro, tanto para com você como para as outras pessoas.

A partir destes questionamentos elaboramos algumas perguntas para você se fazer e refletir sobre como tem levado a sua vida e como você tem influenciado, positiva ou negativamente as pessoas que convivem com você.

Você pensa no outro antes de fazer algo?

Quando você está para realizar algo, seja uma atitude simples, você pensa em como isto poderá afetar o outro, ou simplesmente faz o que sente vontade?

Quando fazemos algo simplesmente por fazer, sem pensar nas consequências ou sem levar o outro em consideração, a probabilidade de fazermos algo negativo, que possa prejudicar pessoas com as quais convivemos, é muito grande. Quando tomamos uma atitude desta e ferimos, de alguma maneira, o outro e este não nos comunica (o que é bem comum), faz com que nos enganemos e passemos a acreditar que esta atitude não fez tão mal assim para o outro. Na verdade não podemos mensurar isto, mas a probabilidade do outro ter realmente se sentido mal com alguma atitude nossa é muito grande. Independente da importância que damos para essas atitudes.

Quando estamos acostumados a tomar atitudes danosas aos outros, isto faz com que os outros passem a fazer o mesmo com a gente. E quando fazem isto conosco nós ficamos indignados, pois achamos que o outro fez “sem motivo”. Mas isso pode ser na verdade uma consequência de algo que já fizermos para este alguém. Neste caso, sua influência sobre esta pessoa foi negativa, que fez com que ela tivesse uma atitude negativa para com você.

Por outro lado, quando pensamos nas consequências de nossas ações, a probabilidade de termos comportamentos danosos aos outros reduzem e muito. Se deixarmos de fazer algo que temos vontade, pois sabemos que isto pode prejudicar o outro, faz com que sejamos mais cautelosos. Desta forma, a influência que temos sobre os outros é positiva. Se você pensou em fazer algo, mas deixou de fazer pois sabia que o outro sairia prejudicado, a probabilidade de o outro deixar de ter atitudes que te prejudicariam é muito grande. É uma forma de evitar conflitos e levar uma vida mais saudável.

Você tem atitudes negativas perto dos outros?

Atitudes negativas podem ser tudo aquilo que você faça, sozinho ou acompanhado, que possam prejudicar qualquer pessoa, seja ela de seu convívio ou não. Vamos pensar que você não está prejudicando alguém que você convive diretamente, mas indiretamente, pois prejudicará algum desconhecido.

Pensamos neste exemplo… Se um dia uma pessoa qualquer que você não conhece “corta” a frente de seu carro no trânsito e você com muita raiva toma uma atitude drástica, no sentido de xingar, ou até mesmo ir atrás da pessoa tirar satisfações e neste momento tem algum conhecido/amigo seu com você. A probabilidade de este seu conhecido te dar razão e até mesmo ir com você atrás dessa pessoa é bem grande. Mas digamos que este seu conhecido é uma daquelas pessoas mais calmas, que não gosta de brigas, mas, por você, aceita comprar a briga e te ajudar. Qual a influência que você teve sobre esta pessoa? Você acredita que torná-la em alguém agressivo foi uma coisa boa?

Digamos que a partir dai este seu amigo comece a ser mais agressivo no seu dia a dia, pois viu que teve resultados com você e isto começou a prejudicar a vida dela. Pois bem, com certeza você tem uma influência…

Vamos pensar agora neste mesmo exemplo, mas de uma forma diferente. Pensamos então que o cara te cortou no trânsito, enquanto você dirigia, e seu amigo disse: vamos atrás dele, xinga ele, etc… E você, pelo contrário, prefere deixar assim, pois não sabe os motivos daquela pessoa ter tamanha pressa. Então você explica isto para seu amigo. Que prefere deixar isso passar, afinal, não vale a pena perder a paciência por algo deste tipo. Que tipo de influência você teve para esta pessoa? Uma positiva, pode acreditar. Talvez este seu amigo nunca tenha pensado nisto dessa forma. Talvez ele tenha aprendido apenas que deve ser agressivo e não deixar nada passar. Mas essa sua atitude o fez perceber que ele pode deixar algumas coisas passar e que não precisa ser agressivo o tempo todo. Você pode, mesmo sem saber, ter trazido uma melhor qualidade de vida para este sujeito.

Estes dois questionamentos podem parecer simples, mas te ajudam no processo do autoconhecimento e sobre a imagem que você pretende passar para o outros. As pequenas atitudes diárias são o que te definem para os outros, pois afinal, os seus comportamentos são as únicas coisas perceptíveis pelos outros.

É claro que não é assim tão simples, o exemplo foi usado mais para clarear que nossos comportamento afetam todos ao nosso redor. Desta forma podemos pensar em maneiras de agir de uma forma mais positiva frente a vida, que aos poucos podemos fazer com que as pessoas de nosso convívio tenham esta atitude também, apenas por observar nosso exemplo. Pensar na influência que temos para estas pessoas é mostrar que a vida pode ser melhorada a partir de nós mesmos e que a mudança parte de cada um. Não precisamos ter comportamentos repetitivos e pensamentos cristalizados sobre tudo, é possível ver a vida de uma outra perspectiva, basta querer.


Leonardo Luchetta527 Posts

É psicólogo e redator de conteúdos. Escreve, reflete e pesquisa sobre os mais variados temas. Não considera a escrita como trabalho, mas uma necessidade da alma.

0 Comentários

Deixe um comentário

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Don't have account. Register

Lost Password

Register