5 maneiras de não se afetar com julgamentos negativos

O exercício do Não Julgamento

Nós somos julgados a todo momento, seja pelo que fazemos e até mesmo pelo que deixamos de fazer. O julgamento, positivo ou negativo, acontece de acordo com o que gostamos ou deixamos de gostar. Se algo está de acordo com nossas crenças e nos agrada é mais fácil que façamos um julgamento positivo, caso contrário, o julgamento negativo pode ocorrer. Assim como, estamos mais sujeitos à julgar negativamente o outro do que nós próprios, gerando assim criticas negativas a respeito do outro. Desta forma pensamos em 5 maneiras de pensamos sobre as criticas negativas à nosso respeito.

1) Faça com dedicação

Quando fazemos algo sem muita dedicação, é bem provável que este “algo” se torne alvo de críticas negativas. E, consequentemente, é mais fácil acreditarmos nessas criticas, afinal, não nos dedicamos tanto assim a este determinado assunto. Isto pode fazer com que comecemos a fazer tudo sem muita dedicação, servindo como desculpa caso desagrade outra pessoa. O fazer com dedicação implica mais tempo, mas significa que iremos realizar com total força de vontade, dando o máximo que conseguimos naquele momento. Isto não significa que não será criticado ou julgado negativamente, mas significa que ficará mais fácil receber estas críticas, tendo em vista que nos esforçamos para fazê-lo.

2) Esteja pronto para as críticas

Independente do que você faça, é preciso primeiro estar pronto para receber críticas. Tudo o que você faz está sujeito aos julgamento alheio, seja ele positivo ou negativo. Desta forma é preciso estar pronto para receber estas criticas e principalmente é preciso ter em mente que você pode desagradar o outro e que isto pode gerar criticas negativas a seu respeito. É melhor você agradar a si mesmo e realizar seus comportamento com aquilo que você julga como certo, do que tentar sempre agradar o outro deixando suas crenças de lado. É preciso pensar em si para respeitar o outro, respeitando também a sua crítica. É preciso lembrar que respeitar difere de aceitar. Você pode não aceitar a critica mas respeitá-la.

3) Entenda que a crítica é um ponto de vista

A crítica geralmente costuma ser um ponto de vista do interlocutor, de forma que, não necessariamente condiz com o seu ponto de vista, causando assim conflitos. As pessoas acreditam que devem expor suas opiniões com muita veemência, e isto pode gerar a critica negativa a seu respeito. É preciso então perceber que a pessoa quer tentar fazer a opinião dela se sobressair à sua, buscando assim alguns caminhos negativos para fazê-lo. Desta forma, algumas críticas não devem ser levadas em consideração. Elas precisam ser compreendidas e vista como um ponto de vista de determinada pessoa e não como verdade absoluta. Não é porque alguém achou ruim, que é realmente ruim. Assim como, não é porque alguém achou muito bom, que será somente muito bom.

critica

4) Entenda a crítica em si

Mesmo quando nos esforçamos, a crítica negativa pode acontecer, mas isto não significa que quem critica está correto – também não significa que ele está errado. É preciso entender a crítica.

Às vezes as pessoas criticam apenas por criticar e este é um costume muito comum na internet. Caso a crítica seja infundada, é mais comum entendê-la e superá-la. Por outro lado, se ela tiver algum fundamento, é possível que aprendamos com ela, para nos desenvolvermos nos aspectos criticados. A crítica nunca deve ser vista como cem por cento verdadeira, tampouco, não deve ser vista como 100% falsa.

5) A crítica não é sobre você

Muitas vezes somos criticados sobre algum comportamento ou alguma opinião que damos e estes são alvos de critica. Veja bem, seus comportamentos e opiniões são apenas algumas parcelas de você e não sua constituição completa. Ter um comportamento negativo ou uma opinião ruim não significa que você seja assim, significa apenas que você teve um comportamento ou opinião negativa. Desta forma, a critica não deve ser considerada como uma critica à você, e sim, uma critica sobre algo que você fez, que é apenas uma parcela de você. Portanto, não leve para o lado pessoal.


Leonardo Luchetta547 Posts

É psicólogo e redator de conteúdos. Escreve, reflete e pesquisa sobre os mais variados temas. Não considera a escrita como trabalho, mas uma necessidade da alma.

0 Comentários

Deixe um comentário

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Don't have account. Register

Lost Password

Register